Um silêncio que não interrompe. Uma tranquilidade que dá paz. Um azul do céu que se reflete na água tranquila e brilhante. Barquinhos azuis e brancos. Um relvado verde que sempre nos acompanha ao longo da paisagem. É assim Chipstead.

Descobri esta vila, há um ano, num dos vários passeios de carro que tenho feito para conhecer Inglaterra. A imponência da natureza é sempre algo que me surpreende. E aqui, neste país, não há como não a ver, como não ser inundada por ela. Em qualquer lado, fora da confusão do centro de Londres, o que nos rodeia é água, árvores e calma.

Chisptead, em Sevenoaks, é um desses lugares que parecem escondidos, no meio do nada, e, de repente, quando lá chegamos, abre-se um mundo. Não porque seja uma zona movimentada, mas porque é mais uma zona tranquila, com paisagens bonitas, que nos permite o contacto com a natureza. E que nos mostra o quanto ela é bonita.

Mesmo aqui ao lado, onde tirei estas fotografias, há uma escola de vela e são vários os barquinhos que vemos ao longo da água. Há também um café/restaurante, onde as pessoas podem tranquilamente beber o seu café com esta paisagem de fundo. Mas quase ninguém ali para. E a sensação que dá é que temos esta paisagem toda só para nós.

Chipstead, que fica em Sevenoaks, está a cerca de 1h e 30m de carro do centro de Londres. De comboio, que podem apanhar na estação de London Bridge, são cerca de 50 minutos. Não são dois minutos, mas a paisagem depois compensa tudo.

E este é só um de muitos lugares fantásticos por este país fora.

No mapa, vejam a viagem aqui.

Gostas do que leste?

Pinkdialogues perfil04 copy

Para saberes sempre quando um novo artigo é publicado, subscreve a minha newsletter!

Não divulgarei o teu e-mail a ninguém. Powered by ConvertKit
PARTILHAR
Artigo anteriorGosto de acreditar
Próximo artigoFeliz Natal
Criativa digital. Designer, ilustradora e licenciada em Comunicação. Freelancer. Algarvia de gema a viver em Londres. Fascinada por cores, aromas doces e cidades grandes. Curiosa e uma sarcástica incurável. Autora do site e do livro «Apetece(s)-me», que falam de amor.

O QUE ACHAS DESTE ARTIGO?

Escreve o teu comentário
Insere o teu nome aqui