Eu, no Porto. | Fotografia © Nuno Abrantes + PinkDialogues

Como emigrante que sou, com família em vários pontos de Portugal, é com frequência que ando entre Londres, Porto, Lisboa e Faro. As viagens de avião são uma constante. Os tempos de espera nos aeroportos são uma rotina que há muito deixou de ser novidade. As estadias em hotéis são tão habituais que, quando estou num, refiro-me a ele como: casa. Mesmo sabendo que a única coisa minha lá dentro são as duas malas de viagem: uma com a roupa; a outra com o computador e a prancha de desenho para trabalhar.

A minha forma de tirar algum proveito desta rotina, trazendo alguma criatividade e aventura para estas viagens, é ir variando os lugares onde fico, os sítios que visito, a comida que como. Pelo meio, distraio-me a tirar fotografias dos lugares por onde passo. Estar sempre entre hotéis e quartos de hóspedes da família já não tem o mesmo romantismo de há quatro anos. Mas uma das coisas positivas que me tem trazido é olhar para todos os lugares com o mesmo ar atento, curioso e deslumbrado de turista. Mesmo em Portugal.

Porto, visto de Gaia | Fotografia © Laura Azevedo

Este fim de semana foi fim de semana de Porto. E esta cidade com ar romântico está cheia de pormenores fantásticos. O Porto, com vista para o Rio Douro, é uma cidade paraíso que encanta. Pelas suas fachadas, pelas calçadas de pedra, pela paisagem à beira rio e pelos pormenores deliciosos que nos acompanham ao longo das ruas.

Comida bonita & saborosa

Quando se viaja com tanta frequência, como é o meu caso, é normal que se almoce e jante fora regularmente. A parte mais difícil é encontrar restaurantes com preços acessíveis e comida que justifique ir àquele restaurante e não a outro. É que, quando se está tão pouco tempo numa cidade, todo o tempo é precioso: até o tempo para comer.

Aqui ficam dois restaurantes que experimentei e que adorei. Porque a comida estava deliciosa, o atendimento foi fantástico e as sobremesas são de comer e chorar por mais.

No Zenith, além do espaço ser giro, os brunchs fazem as delícias também do olhar. Na fotografia, as panquecas de oreo, de ovo e o Shaksuka. A casa estava cheia. Sem reserva, esperei quinze minutos por uma mesa. Mas o atendimento foi rápido. E a espera valeu a pena.

No Reitoria, que fica no centro no Porto e a 2 minutos a pé da famosa Livraria Lello (que também vale a pena visitar), servem tapas e carne. Optei pelas tapas, pela diversidade. Desde o delicioso prego no pão, passando pelos ovos rotos, pelos secretos de porco e não esquecendo a panacotta, a tarte de maçã e a sobremesa com molho de limão e merengue, estava tudo absolutamente delicioso.

Arte pelas ruas

Para mim, o maior prazer de estar no Porto é, no entanto, o mais simples de todos: passear pelas ruas da cidade. Nesta altura do ano, as ruas estão decoradas com enfeites de Natal e cheias de vida, cheias de pessoas. E uma cidade com vida é uma cidade onde vale a pena estar.

A tornar a cidade ainda mais viva: há arte por todos os lados. Ao longo das ruas, em paredes de prédios e casas ou nas caixas de eletricidade, são vários os detalhes artísticos: desde as ilustrações do Nuno Doc Costah, no centro da cidade, à peça de Bordalo II, feita com resíduos de lixo, em Gaia. Sem esquecer, claro, os azulejos coloridos da Joana Vasconcelos.

Para quem, como eu, gosta deste ambiente mais artístico, esta é uma cidade perfeita que reune arte de rua com um ambiente mais tradicional.

Sem dúvida, uma cidade cheia de vida onde vale a pena estar.

Porto | Arte © Bordalo II | Fotografia © Nuno Abrantes + PinkDialogues

4 COMENTÁRIOS

  1. Adorei, Laura!
    Não fosse a minha cidade e a tua impressão dela que me encantou.
    Parabéns e volta sempre. De preferência, para variar, num dia de nevoeiro a crescer da foz para a Ribeira, passando por baixo da Ponte da Arrábida…Nessa altura, vai ao Jardim do Palácio de Cristal e aprecia. Vais ver que para além do romanticismo desta cidade, fica com um ar bem londrino de que tanto gosto.
    Continua a escrever e a dizer o que sentes.É bom ler-te e sentir o teu sentir que nos impele a reflectir no que, tantas vezes, nos passa ao lado.

    • Querida Hortênsia, muito obrigada por todos os teus comentários, por reagires. 🙂 Sim, a cidade do Porto é fantástica e várias vezes comento que o tempo aí é muito semelhante ao de Londres. Há sempre uma ligeira neblina ou então um céu mais cinzento. O azul não é tão forte. E as ruas são mais escuras, como aqui. Levei algum tempo para conseguir gostar do Porto, vinda eu de Lisboa, que é tão mais clara e ampla. Mas agora adoro! Vivia aí, de certeza! Beijinho

  2. Um belo artigo!
    Diz muito do Porto, essa cidade de que tanto gosto!
    Diz muito de ti, Laura, da tua sensibilidade, do teu bom gosto, da tua arte de nós mostrar as coisas lindas!
    Parabéns!

    • Obrigada, Maria querida! O Porto é fantástico, e tu também! Beijinho grande e obrigada por leres e reagires.

O QUE ACHAS DESTE ARTIGO?

Escreve o teu comentário
Insere o teu nome aqui